Eletrolux
Blog Casa Electrolux | Conheça a Casa | Fotos da Casa | Galeria de Eventos
Casa Eletrolux
Blog Casa Electrolux

Bebidas e refrescos 100% brasileiros

Talvez a bebida não-alcoólica 100% brasileira mais conhecida seja o guaraná, originalmente, um pó que se diluía em água, que só virou refrigerante mais tarde, seguida de perto pelo açaí, que ganhou o resto do Brasil a partir do Pará. A bebida alcoólica 100% brasileira mais conhecida, claro, é a cachaça.

Mas o Brasil é imenso e, como seria de se esperar, existem outras bebidas 100% nacionais. Vamos ver algumas agora, focando apenas nas não-alcoólicas, por serem muito mais numerosas. Talvez você se surpreenda com algumas e ouça falar de outras pela primeira vez neste post.

Açaí

açaí

Fruto do açaizeiro. Foto: Lets

É o extrato do frutinho de uma palmeira que dá no Pará, verdadeira paixão dos habitantes de Belém, que conquistou o restante do Brasil numa versão mais diluída e mais adocicada. O fruto é amassado e seu sumo recolhido. Em Belém, é consumido com ou sem açúcar, e acompanha a farinha d’água, a farinha de tapioca e outros alimentos, inclusive salgados. Altamente energético, é praticamente o “feijão” do belenense quando acompanha o arroz.

Aluá

De origem indígena e popular em diversas partes do Brasil, porém mais comum no norte e nordeste, é obtida da fermentação da casca do abacaxi, do milho triturado ou do arroz. No Acre e na Amazônia usa-se mais comumente o milho ou a farinha de milho; em Belém, cascas de frutas, como o abacaxi, o gengibre esmagado ou ralado, açúcar ou garapa e suco de limão também são usados.

Cajuína 

cajuína

Cajuína. Foto: Maria Regina Carriero.

Caetano Veloso cantou essa bebida que é popular em Teresina, capital do Piauí, numa linda canção de mesmo nome: “Tampouco turva-se a lágrima nordestina / Apenas a matéria vida era tão fina / E éramos olharmo-nos intacta retina / A cajuína cristalina em Teresina”. Trata-se de um refresco servido gelado, obtido do suco do caju filtrado, clarificado e esterilizado.

Chibé 

Também chamada de jacuba, é uma bebida típica da culinária amazônica. Feita com farinha de mandioca e água, tem sabor levemente ácido e alto valor energético. Os caboclos do Pará tomam o chibé duas a três vezes ao dia e as crianças gostam de adicionar açúcar, mel ou rapadura.

Guaraná

guaraná

A maioria das pessoas hoje só conhece a versão industrializada, mas o guaraná é um arbusto e cipó originário da Amazônia, que também pode ser encontrado no Peru, Colômbia e Venezuela, cujo fruto tem grande quantidade de cafeína, com propriedades estimulantes. Antes de ficar famoso como refrigerante cem por cento brasileiro, era – e em alguns lugares ainda é – utilizado para fabricar xaropes ou barras, que são raladas para obter o guaraná em pó.

Gengibirra 

Refrigerante popular no Paraná, à base de gengibre. Para sua fabricação, a raiz descansa por um ano e passa por um processo de decantação. Pode-se encontrar também a versão caseira, onde entram água, açúcar, fermento biológico e claras em neve. Mas também pode ser encontrado no  interior de São Paulo, no Rio Grande do Norte e no Amapá, onde recebe ainda cravos da índia, açúcar caramelado e cachaça a gosto. É bebido gelado.

Chimarrão e Tereré

Tereré

Tereré. Foto: Damien Perrotin

O chimarrão é o chá da erva mate, típico do Rio Grande do Sul, servido quente numa cuia, enquanto o tereré é o chá feito da erva verde seca, típico do Mato Grosso do Sul, servido gelado em uma guampa. Ambos usam a bomba, composta por um canudo metálico com uma base larga e fechada com pequenos furos que têm a função de filtrar a infusão. São tomados em grupo, com as pessoas se reunindo em torno da cuia ou da guampa.

E aí, você conhecia todas? Ficou surpreso com alguma? Conte para gente!

Seja o primeiro a comentar

Aprenda a fazer três sandubas da SanduWeek São Paulo

A 3a edição do SanduWeek São Paulo, inteiramente dedicada aos sanduíches e com versões exclusivas criadas por alguns dos chefs mais celebrados da cidade, entra em sua última semana a todo vapor. Você tem só até o dia 31 para aproveitar as atrações de dar água na boca do festival.

A hora é essa! Para inspirar, a Casa Electrolux convidou os chefs Fernando Pereira, do Ruaa, Raphael Despirite, do Marcel, e Greigor Caisley, do 12 Burger e Bistrô, para ensinar a preparar três sanduíches inéditos, criados especialmente para o SanduWeek.

 

Preparados para as receitas?

 

Sanduíche de cupim assado

Chef: Fernando Tupinambá.

Restaurante: Ruaá 

Sanduiche de cupim assado

Sanduiche de cupim assado
Ingredientes:

200g cupim

1 pão ciabatta

½ tomate

1 porção maionese caseira (1 ovo + 100ml óleo +100ml azeite + ½ limão siciliano + 20g mostarda amarela)

50g azeitonas pretas

100g pimentões grelhados

4 folhas alface romana

200g batata Asterix

100g mussarela ralada

10ml molho inglês

20ml vinho tinto

5g alecrim

5g tomilho

 

Modo de fazer:

Marinar o cupim e deixar em geladeira até o dia seguinte.

Cortar os tomates em rodelas bem finas e deixar secar sobre o forno ou em temperatura bem baixa.

Assar o cupim em forno médio até estar bem macio. (isso leva em média 2h)

Grelhar os pimentões e cortar em tiras.

Fazer a maionese caseira temperada com pimentão batendo o ovo e acrescentando o óleo e azeite aos poucos até emulsionar. No final acrescentar o limão, sal, mostarda e pimentão.

Ralar a muçarela e temperar com azeitonas.

Cozinhar a batata até estar bem al dente. Cortar fininha e fritar até estarem bem crocantes.

Montar o sanduíche na ciabatta com maionese, alface, cupim e queijo temperado. Servir com as fritas e uma porção de maionese.

 

Hot Dog Francês

Chef: Raphael Despirite

Restaurante: Marcel

Hot Dog Francês

 Ingredientes:

5 baguetes pequenas

Mostarda Dijon a gosto

5 salsichas frankfurter

Molho bechamel (receita abaixo)

150g de queijo gruyére ralado

 

Modo de fazer:

Corte os pães no sentido do comprimento e espalhe mostarda Dijon em cada uma das partes. Cozinhe as salsichas durante 4 minutos em água fervente.

Acrescente uma salsicha em cada baguete, e cubra com 3 colheres de sopa de molho bechamel, e salpique queijo gruyère por cima.

Coloque os hot dogs em uma assadeira e leve ao fogo alto, para gratinar.

 

Receita Molho Bechamel:

500 ml de leite

5 gramas de cebola picada

35g de manteiga

1 folha de louro

40g de farinha

Sal e noz moscada a gosto

 

Modo de fazer:

Em uma panela, derreta a manteiga e coloque para dourar em fogo médio. Coloque a folha de louro, e em seguida, a farinha, e mexa bem. Vá adicionando o leite aos poucos, e continue mexendo, sem parar, até engrossar. Tempere com sal e noz-moscada a gosto.

 

Aussie Dog

Chef: Greg Caisler  

Restaurante: 12 Burguer e Bistro 

Aussie Dog

Ingredientes:

4 salsichas frankfurter

3 cebolas caramelizadas

20 gramas de manteiga

150 gramas  cheddar inglês ralado

Maionese de paprika / curry  (caseira)

50 gramas de bacon (assar no forno até ficar crocante)

Pão de hot dog

 

Modo de fazer:

Passo 1: Caramelizar as cebolas. Cozinhar as cebolas em fogo baixo com sal a gosto. Mexer até chegar no ponto. Adicionar 20 gramas de manteiga.

Passo 2: Cozinhar as salsichas.

Passo 3: Misturar a maionese com páprica a gosto (sugestão: para cada 100 gramas de maionese, umas 3 gramas de páprica e de curry).

Passo 4: Colocar maionese como berço do pão. Montar os pães com as salsichas cozidas. Colocar a cebola caramelizada e o queijo cheddar ralado por cima de tudo. Levar ao forno em temperatura de  180 ˚C até o queijo derreter.

Para finalizar, salpicar o bacon crocante por cima.

 

Não tem como não se inspirar, né? Agora, se o seu negócio é comer, e não fazer, só falta escolher o local, e bom apetite!

Seja o primeiro a comentar
Página 1 de 14412345...Última »
© 2010 Electrolux. Todos os direitos reservados.
RSS Feed